Espécies Nativas

Angico branco – Albizia polycephala

Angico branco - Albizia polycephala

Nome Popular Angico branco, albízia, angico monjolo, camunzé, cabuir, comondongo, monzê, farinha-seca
Nome Científico
Albizia polycephala

Família Fabaceae-Mimosoideae
Síndrome de Dispersão Autocórica
Sinomínia Botânica
Pithecellobium polycephalum Benth., Samanea polycephala (Benth.) Pittier

Grupo Ecológico Não Pioneira
Classificação Sucessional N/A
Ameaça de Extinção Não Ameaçada
Ocorrência conforme resolução SMA 08 – Estado de São Paulo Floresta Estacional Semidecidual – Centro, Floresta Ombrófila Densa – Sudeste, Mata Ciliar – Centro
Origem Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo
Locais de Ocorrência Sudeste, Sul
Onde Plantar
É ótima para arborização urbana, tanto de ruas como praças e jardins.

Solo de Plantio Áreas Úmidas
Porte da Árvore De 5 a 10 metros, De 10 a 15 metros
Utilidades Construção Civil, Marcenaria, Uso Ornamental
Madeira Leve, dura, medianamente resistente e de pouca durabilidade sob condições naturais.
Tronco Tronco de 40-60 cm de diâmetro, revestido por casca acinzentada com ritidoma lenticelado; ramos novos ferrugíneo-tomentosos.
Folha Folhas alternas, compostas bipinadas, apresentando 8-14 jugas; pinas opostas de 5-10 cm de comprimento; foliólulos multijugos (15-35 jugos), de 5-6 mm de comprimento; pecíolo dotado de glândula oblonga.
Flor
Flores esbranquiçadas, reunidas em umbelas e dispostas em panículas terminais.

Fruto
Fruto vagem (legume) deiscente, achatada, de cor creme, contendo 3-7 sementes amareladas e duras.

Fruta Comestível Não
Potencial Paisagístico
A árvore é bastante ornamental, principalmente pela forma e delicadeza de sua copa que proporciona boa sombra.

Fenologia Floresce a partir do final de outubro, prolongando-se até o início de janeiro. A maturação dos frutos ocorre nos meses de setembro-outubro com a planta totalmente desprovida da folhagem.
Possui Propriedades Medicinais? Não
Propriedades Medicinais Não
Tempo Médio de Emergência 30 Dias
Sementes por Quilo 25600
Sementes por Pacote 2560
Sementes por Cova 2
Mês de Coleta Maio
Classificação Ortodoxa
Longevidade e Armazenamento Não
Colheita
Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a abertura espontânea. Em seguida, levá-los ao sol para que se completem sua abertura e a liberação das sementes.

Quebra de Dormência Não
Como Plantar
Colocar as sementes para germinar, logo que colhidas e sem nenhum tratamento, em canteiros semi-sombreados contendo substrato organo-arenoso. Cobri-las com uma leve camada de substrato peneirado e irrigar duas vezes ao dia.

Descrição: IBF – Instituto Brasileiro de Florestas

Ocorrência em Pernambuco (Zona da Mata e Agreste) registrado feito por Gilberto Vasconcelos, Viveirista florestal

<strong>Fotos:</strong> Gilberto Vasconcelos

Sobre o autor

Gilberto Vasconcelos

Viveirista florestal

Deixe um comentário